FINANÇAS – FINANCES ANALYTICS

Finanças

1 – CONTROLE DE IMPOSTOS

Toda empresa que conta com uma boa equipe de gestão e estratégia sabe a importância de realizar um controle tributário eficiente, e isso não se refere apenas ao pagamento dos impostos em dia. Esta tarefa envolve também o plano, análise, controle e acompanhamento de todas as obrigações tributárias da empresa.

2 – CONTAS A PAGAR

Contas a pagar são basicamente as obrigações financeiras que a empresa assume com seus fornecedores, é um tipo de conta onde ficam registrados os compromissos financeiros a serem liquidados como fornecedores ou impostos.

3 – PONTO DE EQUILÍBRIO

É a igualdade entre receitas e despesas. O que entra de dinheiro precisa ser no mínimo equivalente à soma dos custos e das despesas da empresa. A partir desse valor, mesmo que seja 1 centavo, o empreendimento já estará gerando lucros.

4 – CUSTOS FIXOS

São aqueles que tendem a apresentar pouca ou nenhuma variação, em determinado período de tempo, mesmo que o volume de produção ou vendas caia.

5 – CUSTOS VARIÁVEIS

Já os custos variáveis são definidos como um gasto que oscila de acordo com as atividades no dia a dia do negócio. Ou seja: se houver aumento no volume de produção e vendas, o custo variável também cresce, já o custo fixo, não.

6 – CONTAS A RECEBER

Contas a receber é o nome dado a uma atividade financeira dentro das empresas, referente ao controle dos valores recebíveis que estão pendentes. Em algumas empresas, esse nome é dado a uma equipe ou departamento que cuida, especificamente, dessa atividade.

7 – CONTROLE FINANCEIRO

É a sistematização das atividades do setor de finanças no sentido de avaliar a situação econômica das organizações. E, como guia para essa avaliação, são usados relatórios elaborados e regulados pelos dados patrimoniais, bem como pelas condições do fluxo de caixa.

8 – GESTÃO FINANCEIRA

É o conjunto de processos, métodos e ações que permitem a uma empresa controlar, analisar e planejar suas atividades financeiras. Uma boa gestão financeira está por trás de toda empresa de sucesso.

9 – BALANCETE

O balancete contábil, também conhecido como balancete de verificação, é um relatório que abrange todas as informações contábeis das contas em movimento numa empresa.

10 – FLUXO DE CAIXA

É um Instrumento de gestão financeira que projeta para períodos futuros todas as entradas e as saídas de recursos financeiros da empresa, indicando como será o saldo de caixa para o período projetado.

11 – CAPEX

CAPEX é a sigla, em inglês, de Capital Expenditure, e significa despesas de capitais. Na prática, ele representa os investimentos em bens de capitais de uma empresa. Isso significa que o CAPEX está relacionado aos custos que a empresa tem ao adquirir determinados equipamentos e/ou instalações.

12 – GESTÃO DE CONTRATOS

É o conjunto das técnicas, procedimentos, medidas e controles que visam à administração correta e eficaz de todas as variáveis envolvidas na contratação, desde a proposta negocial, passando pela negociação do contrato, discussão e redação de cláusulas, cautelas na formalização do contrato, até a execução, acompanhamento e entrega do trabalho.

13 – ORÇAMENTO

Em uma definição resumida, orçar as receitas e despesas em uma empresa significa projetar todas as entradas e saídas de recursos em prazos determinados.

14 – RELATORIO FINANCEIRO ANUAL

Trata-se de um registro de todas as movimentações financeiras da empresa em um determinado período. Neste relatório, considera-se os ativos (bens + direitos), passivos (obrigações com terceiros) e patrimônio líquido (obrigações com a própria empresa) do negócio.

15 – CONCILIAÇÃO BANCÁRIA

É a comparação do seu controle financeiro interno com tudo o que entrou e saiu da sua conta e está lançado no extrato bancário do mesmo período. Essencial para a saúde financeira da empresa, saber com certeza quanto de saldo dispõe ajuda em várias tomadas de decisão.

16 – FORMAÇÃO DE PREÇOS

O processo de formação de preço nada mais é do que a análise realizada pelo empreendedor ao definir qual será o valor cobrado por determinado produto ou serviço oferecido por ele, levando em consideração alguns fatores, como custos, margem de lucro, despesas fixas e variáveis, dentre outros elementos.

17 – FORMAÇÃO DE PREÇOS DE VENDA

Preço de Venda é o valor que será cobrado dos seus clientes por seu produto ou serviço, ou seja: por quanto você vai vender o que faz.

18 – ESTUDO EVTE

EVTE é a sigla para Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica. Como comentado, um dos motivos de realizarmos este tipo de estudo é para evitar riscos (que como sabemos, são intrínsecos a qualquer projeto).

19 – ORÇAMENTO EMPRESARIAL

Orçamento empresarial tem como objetivo identificar os componentes do plano financeiro com a utilização de um sistema orçamentário, entendido como um plano abrangendo todo o conjunto das operações anuais de uma empresa através da formalização do desempenho dessas funções administrativas gerais.

20 – PLANO TRIBUTÁRIO

O plano tributário é um conjunto de sistemas legais que visam diminuir o pagamento de tributos. O contribuinte tem o direito de estruturar o seu negócio da maneira que melhor lhe pareça, procurando a diminuição dos custos de seu empreendimento, inclusive dos impostos.